Chega de tomar remédio toda hora! 10 tratamentos naturais (supersimples) para você cultivar no quintal

Quantas coisas novas podemos aprender em um único fim de semana? Noticiamos aqui no The Greenest Post sobre o curso de fitoterapia que rolou na ecovila Clareando, em Piracaia, no interior de São Paulo. Mas, mais do que isso, fomos acompanhá-lo para dividir com vocês os conhecimentos da naturóloga Jimile Oliveira de Assis, que ministrou as aulas. Curioso para saber o que aprendemos por lá? Confira, abaixo, uma lista com 10 tratamentos naturais supersimples que você pode cultivar no seu quintal.

1. ALHO 
Poderoso antibiótico, o alho é eficaz em tratamentos que combatem de amigdalite a resfriados. Recomenda-se tomar bastante água de alho (feita a partir do processo de maceração) para o tratamento eficaz da amigdalite. Além disso, o tempero é conhecido por suas propriedades imunoestimulantes, que fortalecem nosso corpo para combater vírus e bactérias.

2. PICÃO-PRETO
Sabe aquela planta “pentelha” que gruda na sua calça toda vez que você anda no meio do mato? Pois bem, ela é ótima para o tratamento de dermatites e pode ser encontrada em qualquer pedaço de terra (dá um Google para você identificar a planta!). Pode-se fazer uso interno e externo e também é recomendado para doenças inflamatórias, como artrite e reumatismo.

3. GENGIBRE
Ótimo analgésico, o gengibre é antioxidante e anti-inflamatório. E pode ser usado no tratamento de rinites! Basta ralar e, espremido, colocar na narina. E mais: junto com caldo de gergelim, seu sumo pode ser um ótimo tratamento para otites dolorosas. Fazer compressa de gengibre em torções, na hora que acontecer o acidente, também ajuda a aliviar a dor.

4. LIMA-DA-PÉRSIA
Sabe aquela conjuntivite ou simples coceira no olho? A lima-da-pérsia resolve isso em um instante. Basta pingar o líquido diretamente no olho e pronto! Se ingerido, ajuda a desintoxicar o fígado e eliminar as toxinas do sangue.

5. TANSAGEM
Com efeito bactericida, a planta é recomendada para o tratamento de doenças respiratórias, como bronquite e asma. Para uso externo, ajuda na cicatrização de cortes e ferimentos. Também é conhecida como regulador de hormônios femininos, podendo ser usada para aliviar os sintomas da tensão pré-menstrual e da menopausa.

6. BABOSA
Essa a minha avó usava em TUDO! Mas as reais indicações da babosa são mesmo para aliviar a coceira das picadas de inseto, ferimentos, cortes e queimaduras. A planta é muito utilizada externamente por sua poderosa e rápida ação. Entretanto, ela também pode ser ingerida para ter um efeito imunomodulador, desintoxicante e para problemas gastrointestinais.

7. CALÊNDULA 
Com propriedade principalmente cicatrizante, a calêndula é bastante usada e conhecida em farmácias de manipulação e da medicina antroposófica. Fortemente indicada para ferimentos, cortes, queimaduras e assaduras de bebê. Também ajuda na dermatite e na cólica menstrual.

8. SABUGUEIRO 
Conhecido antipirético, o chá de sabugueiro é recomendado para ajudar na recuperação da febre e no mal-estar que causa. É importante ter paciência com a febre e deixar o corpo agir. Pode também ser uma alternativa à lima-da-pérsia no tratamento da conjuntivite.

9. ALCAÇUZ
Famoso por combater tosse de forma eficiente, também é utilizado no tratamento de afecções do sistema respiratório, como laringites, amigdalites, asma e bronquite. Também pode ser utilizado, em forma de chá, em caso de resfriados.

10. CAPUCHINHA
Antibiótico potente, assim como o alho, a capuchinha também é antisséptica, expectorante, digestiva e diurética. É utilizada no tratamento de infecções urinária, alergias na pele, acne e problemas digestivos.

 

Dito isso, é importante lembrar duas coisas:

– A natureza, de fato, nos oferece recursos ótimos para cuidar da saúde. No entanto, não milagrosos. Para termos corpo e alma 100% saudáveis, é preciso levar em conta o que os entendidos do assunto chamam de “Quadripé da Saúde”, o que significa simplesmente manter o equilíbrio em quatro aspectos: pensamentos, meditação, movimentos e alimentação.

– Ainda mais importante do que “qual planta usar” é “como utilizá-la”. Para ter um tratamento completo e eficaz, é preciso entender exatamente como trabalhar as espécies para extrair ao máximo suas propriedades curativas. E tudo isso é mais do que bem explicado (de maneira prática e divertida!) no curso de fitoterapia oferecido pela ecovila Clareando. Recomendamos! 🙂

 

Fonte: http://thegreenestpost.bol.uol.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *