Agricultura Sintrópica
31 de outubro de 2016
A MANIFESTAÇÃO DA AGPTEA PERANTE A MEDIDA PROVISÓRIA Nº 746/2016, QUE TRATA DA REFORMA DO ENSINO MÉDIO
7 de novembro de 2016

Certa vez escutei uma frase interrogativa, que dizia assim: “Nós chamamos de Meio ambiente, porque já destruímos metade”? Infelizmente, não consegui comprovar a autoria da frase, mas creio que avaliando o mundo atual em que vivemos talvez sua definição se aplicasse muito bem a real situação que vemos como as questões ambientais são encaradas atualmente.

Quando nos deparamos com o termo “meio ambiente”, temos a ideia de remetermos em um primeiro momento somente a natureza ao nosso redor, o que de certa forma não está totalmente errado, no entanto, de acordo com o dicionário Aurélio, “Meio ambiente” define-se como o conjunto das condições biológicas, físicas e químicas nas quais os seres vivos se desenvolvem. Ou ainda, em um conceito mais técnico: Meio ambiente é o conjunto de condições, leis, influencias e interações de ordem física, química ou biológica que permite, abrigam e regem a vida em todas as suas proposições (Art. 3º, da Lei 6938/81 – Política Nacional de Meio Ambiente).

Entre todos os fatores que interferem na qualidade do meio ambiente, e se tornam um dos maiores problemas ambientais em âmbito mundial, temos a destinação do lixo produzido em nosso meio. Esse lixo corresponde necessariamente aos resíduos gerados pelas atividades humanas, classificando-se como orgânico (restos de alimentos, folhas, papeis, madeiras e etc.), inorgânicos, podendo ser recicláveis ou não (plástico, metal, vidro, e etc.), lixo tóxico (pilhas, baterias, produtos químicos em geral) e altamente tóxico (hospitalar e nuclear).

Para termos uma ideia, atualmente somente o nosso país produz diariamente 260.000 toneladas de lixo, 1 kg de lixo por habitante ao dia é a média do brasileiro, sendo que apenas 3% desse lixo são reciclados. No Rio Grande do Sul, 70% do nosso lixo, ainda são destinadas a aterros sanitários.

Se considerarmos esses dados, e pensarmos em âmbito mundial, os números se tornam aterrorizantes. Mais então, o que fazer para tentar reduzir os impactos gerados? A resposta é simples: Adotar práticas sustentáveis, entre elas os 5R’s da sustentabilidade (Repensar, Reduzir, Recusar, Reutilizar e Reciclar).

1º Repensar: Repensar hábitos de consumo e descarte. É realmente necessária tal aquisição? Como irei descartar?

2ª Reduzir: Consumir menos produtos, repensar os hábitos diários, evitando o desperdício. Dar preferencia aos refis, aos produtos que tenham embalagens retornáveis, econômicas e que sejam eco sustentáveis.

3º Recusar: Recuse produtos que sejam prejudicais a saúde e ao meio ambiente, prefira produtos de empresas com selo verde (que se preocupam com a sustentabilidade em seu processo de produção) e sejam biodegradáveis.

4º Reutilizar: Amplie a vida útil dos produtos, ao fazer isso, você economiza na extração de matérias primas virgens. Seu bolso e a natureza agradecem a pratica.

5º Reciclar: Transforme materiais utilizados em novos produtos, reduzindo-se assim o consumo de água, energia e matéria prima, investindo na separação do seu lixo.

Elisa C. Rathke – Gestora Ambiental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× 51 992523330 - Somente em horário comercial