Expodireto leva informação do mundo agropecuário aos alunos das escolas agrícolas

Manifesto contra mudanças no plano de carreira do magistério
7 de fevereiro de 2020
Parceria levará profissionais da área agrícola para a Alemanha
11 de março de 2020

Os alunos das escolas agrícolas conseguem ampliar a sua visão do mundo agropecuário em feiras como a Expodireto Cotrijal, que está em sua 21º edição e ocorre em Não-Me-Toque (RS). A afirmação é do vice-presidente administrativo da Associação Gaúcha de Professores Técnicos do Ensino Agrícola (Agptea), Celito Lorenzi, que também é diretor da Escola Estadual de Educação Profissional de Carazinho (EEPROCAR). 

Lorenzi, que visitou o evento ao lado do vice-diretor de produção, Luís Fernandes Pinheiro Meira, e do coordenador de estágios, Valmor Bissoto, salienta que é muito importante que os alunos visualizem o mundo que eles irão encontrar depois de formados, tanto no emprego quanto na área do empreendedorismo. Destaca que a feira mostra novos equipamentos, máquinas agrícolas, tecnologia embarcada, informática, produtos da agricultura familiar, produção de mudas, hortifrutigranjeiros. “Os estudantes podem se espelhar em todas estas iniciativas para, posteriormente, também empreender. E tem ainda a questão do atendimento ao público. Em contato até com ex-alunos que estão nas empresas, eles conversam e percebem como é realizado o trabalho junto aos clientes”, observa. 

O conhecimento adquirido em eventos desta natureza é depois analisado e discutido em sala de aula com os professores. “São debatidos fatores como custo-benefício e o que é possível fazer dentro de uma propriedade rural em termos de investimentos para melhorar a produção. Nós temos alunos que que vivem na área urbana, outros que são filhos de produtores ou empregados rurais, e por isso é fundamental terem toda esta visão mostrada nas feiras”, salienta.

A EEPROCAR é pioneira em oferecer o Curso de Técnico em Agropecuária, e hoje já são cerca de dois mil formados nesta modalidade. A escola possui diversos setores nas áreas de pecuária e de agricultura, como: lavouras e máquinas, horta, pomar, vermicompostagem,  suínos (sistema diferenciado ao ar livre com cabanas), coelhos, ovinos, gado de leite, de corte e aves.

O vice-presidente administrativo da Agptea ressalta, ainda, o trabalho da entidade junto às escolas, especialmente na questão da qualificação dos professores. “A entidade busca atender os seus associados, suas aspirações, tentando cobrir algumas lacunas deixadas pelo Estado”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×