Parceria levará profissionais da área agrícola para a Alemanha

Expodireto leva informação do mundo agropecuário aos alunos das escolas agrícolas
6 de março de 2020
Agptea participa de audiência que discute alterações nas bases curriculares
11 de março de 2020

Uma nova oportunidade profissional é o que a Associação Gaúcha dos Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea) passa a oferecer para quem deseja reiniciar a sua vida profissional em um outro continente. A entidade criou um setor de apoio para profissionais que queiram viver na Alemanha e trabalhar na área agrícola, tanto em propriedades quanto em empresas que prestam serviços de jardinagem, plantios e manutenção. Trata-se de um programa piloto coordenado pelo Ministério do Trabalho alemão, junto com entidades e empresas parceiras. Inicialmente, a Agptea será a representante desta iniciativa no Rio Grande do Sul e em outros Estados brasileiros.

Segundo o presidente da Associação, Fritz Roloff, se as ações evoluírem, o programa poderá ser ampliado para outras entidades. Destaca ainda que com esta iniciativa a Agptea passa a assumir um novo papel, além da questão pedagógica, do apoio ao professor, começa a realizar algo da porteira para fora. “A entidade passa a apoiar também aos formandos e a tornar as escolas agrícolas visíveis fora do país. Isto será um salto de qualidade, permitindo a abertura de novas parcerias, intercâmbios, não só pela Agptea, mas também pelas escolas e outras organizações”, afirma.

Em um primeiro momento, foram abertas 15 vagas por um período de um ano. O sucesso foi tanto que logo que anunciadas já foram preenchidas e foi criada uma lista de espera para uma segunda turma. De acordo com Roloff, o prazo poderá ser estendido por tempo indeterminado, semelhante ao Green Card dos Estados Unidos, com os mesmos direitos trabalhistas garantidos ao trabalhador alemão. Os profissionais terão a sua viagem paga e oferecidos alojamento ou moradia junto às propriedades. O salário inicial ficará entre 1,5 mil a 2 mil euros por mês. Os pré-requisitos para se candidatar às vagas, são ter conhecimentos mínimos da língua alemã e formação na área agrícola, não necessariamente ser técnico agrícola, mas ter comprovadamente conhecimentos com máquinas e noções básicas de manejo e produção.

Os interessados podem fazer contato direto com Roloff, que está coordenando este projeto, pelo e-mail agptea1@gmail.com ou pelo whatsapp (51) 99912.2474.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×