Instituto de Formação do Pampa é instituído na Região de Minas do Camaquã

Alagamentos dificultam comunicação das escolas técnicas agrícolas do Rio Grande do Sul
8 de maio de 2024
Alagamentos dificultam comunicação das escolas técnicas agrícolas do Rio Grande do Sul
8 de maio de 2024
O Instituto de Formação do Pampa, o Informa Pampa, foi instituído oficialmente na última sexta-feira, dia 7 de junho, tendo como princípio a formação de pessoas e a inclusão social. O ato ocorreu no Agptea Minas Hotel, na localidade de Minas do Camaquã, em Caçapava do Sul (RS), com a presença dos sócios-fundadores. Durante a assembleia foi apresentada a proposta do Instituto, aprovado o seu estatuto e eleita e empossada a diretoria. Por aclamação, foi eleito para a presidência do Informa Pampa o professor Paulo Roberto de Oliveira Benites, a vice-presidente Administrativa, Rosane Cordini Abdala, o vice-presidente Educacional, Marcelo Souza da Cunha, e os integrantes dos Conselhos Fiscal e Consultivo.

O presidente da Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea), Fritz Roloff, eleito como suplente do Conselho Fiscal, informou que o Instituto é um braço da entidade. “O Informa Pampa terá vida própria e a nossa entidade fará a gestão dos cursos. Queremos ser vanguarda também nessa nova etapa que não abrange apenas cursos isolados, mas um centro de formação de pessoas”, destacou, colocando que durante os cursos, os alunos ficarão em alojamentos na área do Agptea Minas Hotel.

Conforme Roloff, a Agptea tomou mais um passo importante para a continuação das suas metas, principalmente no que se refere à parte da formação de trabalhadores. “É um dos objetivos da nossa entidade administrar cursos de formação continuada para alunos e trabalhadores, especialmente do setor agropecuário. E Minas do Camaquã, onde temos uma sede, se tornou o nosso centro de referência em termos de formação”, ressaltou.

De acordo com o dirigente, uma das ideias é entrar na questão da produção, do apoio para pequenos agricultores que muitas vezes não têm alternativas de transformar a sua produção, seja ela em fruticultura ou em outros setores da agropecuária. “Nós queremos ter uma função colaborativa, ser um ponto de referência para as comunidades do Pampa, especialmente na questão do fomento para que jovens voltem a investir na sucessão rural. “Temos muitos que querem ser herdeiros das  propriedades, mas poucos ficam na atividade rural. E muitos, às vezes, não ficam por falta de alternativas de vislumbrar um futuro que muitas vezes é tão promissor”, finalizou Roloff.

O Informa Pampa é uma entidade público privada, sem fins lucrativos, que visa atender as mais diversas entidades que trabalham no ciclo produtivo da região que possui indústrias  de calcário e de nutrientes minerais. O Instituto quer ser uma vitrine tecnológica e um mosaico científico para desenvolver tanto a produção, retomando as multiculturas, como trazer subsídios de mineração e de solos, com o repovoamento da mata ciliar e, consequentemente, a volta  da fauna e da flora, alavancando o bioma.

O presidente eleito do Instituto, Paulo Benites, afirmou que o Informa Pampa deverá ser um segmento da Agptea principalmente para agregar valores ao homem do campo com ferramentas pedagógicas, com atividades e projetos estratégicos que visam melhorar a sua produção e, consequentemente, os meios onde ele trabalha. “Sempre, a Agptea prima pela educação, pela formação continuada e pelos conhecimentos empíricos somados aos conhecimentos científicos para formar um cidadão independente e próspero para o mundo do trabalho”, enfatizou.

Benites explicou que está sendo adquirido um prédio na região para colocar um centro de processamento de conhecimentos na pesquisa e também na divulgação dos produtos do Geoparque Caçapava do Sul. Disse que o foco do Informa Pampa será também acessar os produtores da região que não têm a possibilidade de frequentar o ensino regular. “Para isso, vamos trabalhar com a pedagogia da  alternância, ou seja, o produtor terá aulas práticas e teóricas retornando depois para a sua propriedade onde aplicará os ensinamentos, e após voltará para o Instituto a fim de compartilhar as suas experiências, diversificando assim os saberes”, observou.

Confira a diretoria:

Presidente: Paulo Roberto de Oliveira Benites
Vice pres. Administrativo: Rosane Coradini Abdala
Vice pres. Educacional: Marcelo Souza da Cunha
Secretária: Vitória da Silva Godinho
Tesoureiro: Ivanói da Fontoura Brito

CONSELHO FISCAL

Titular: Celito Luiz Lorenzi
Titular: Paulo Régis Mônego Jr.
Titular: Ramiro dos Santos Boher
Suplente: Fritz Roloff

CONSELHO CONSULTIVO

– Renato Fernandes
– Sávio Johnston Prestes
– Vitor Hugo Baratieri
– Luiz Carlos Gugleimin
– Otomar Oleques Vivian

Foto: Divulgação
Texto: Rejane Costa/AgroEffective

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *