Visita PET com animais de estimação no Hospital Centenário de São Leopoldo
7 de dezembro de 2016
UM POUCO SOBRE A HISTORIA DO ENSINO AGRÍCOLA
7 de dezembro de 2016

Planta perene de clima tropical e subtropical, a pitaya que pertence à família dos cactos, é nativa da América Central e México, tendo sido fortemente cultivada em alguns países orientais, com
destaque para o Vietnã que mantem grande produção há mais de 100 anos.

Apesar de ainda ser pouco conhecida pela grande maioria dos brasileiros, também chamada de fruta dragão em alguns países pela sua beleza e cor exuberante, a pitaya vem ganhando popularidade devido ao fácil manuseio, rusticidade da planta e considerável valor comercial… Além de dispensar grandes demandas de área para a sua produção e possuir boa aceitação de adubação orgânica… O que torna a frutífera uma ótima opção para o pequeno agricultor.

Com três anos a planta entra em sua melhor fase produtiva, chegando a produzir entre 180 e 200 frutos por pé.

“Com a primeira floração ocorrendo em novembro, entre a forma de botão e fruta madura, decorrem 50 dias… Ou seja, até junho (mês que encerra-se o ciclo produtivo da planta) o produtor terá entre 6 e 7 colheitas neste período por pé, já que na mesma planta teremos botão, flor pronta a ser polinizada, fruto verde e fruto pronto para ser colhido” explica Alexandre Assis do grupo Pitaya Sul.

 


Uma fruta rica em benefícios a nossa saúde

A fruta pode pesar entre 150 e 680 gramas e seu interior, que é ingerido cru é doce e tem baixo índice calórico.
Os valores nutricionais e os benefícios provenientes a saúde humana são consideráveis. Seu consumo regular auxilia em fatores como: Efeitos antiidade, anti-inflamatório, nutrição da pele, controle do colesterol, regulador da depressão e ansiedade, diabetes, impulsionador do processo digestivo, emagrecimento, flora intestinal, melhor desempenho da imunidade, manutenção da visão, fortalecimento de ossos e dentes, osteoporose, sistema cardiovascular e sistema nervoso.
Por conter caroteno entre outros antioxidantes, a pitaya um poderoso alimento que atua na prevenção ao câncer. 

Usando técnicas organizacionais e administrativas de gestão agrícola, os sócios Jorge Volkweis, Alexandre Assis e Rafael Rodrigues comemoram a boa comercialização de mudas e o interesse do cultivo mostrado pelo público no espaço onde apresentaram a planta na Expointer 2016. Produtores da região de Lomba Grande no Vale do Sinos, eles começaram a trabalhar de forma orgânica com a pitaya no início de 2015… Hoje, depois de um ano e meio de cultivo e com vários pés em fase produtiva, as perspectivas dos três empresários são muito boas.

“Como tínhamos uma pequena proriedade e o desejo de fazer este espaço ser produtivo, fomos estudar alternativas que pudessem ser trabalhadas de forma ampla também por outros produtores.
Durante seis meses analisamos diversos fatores e encontramos na pitaya excelentes qualidades para uma produção familiar de baixo investimento, fácil manejo e rentabilidade… Além de ser um cultivo em grande expansão de consumo“. Diz Alexandre.

Com suas flores belas e exuberantes, a planta é polinizada de maneira manual pelos próprios agricultores… Uma vez que a floração acontece apenas a noite e tem poucas horas de duração.
“Temos poucos polinizadores naturais neste período, assim garantimos uma melhor produção”. Explica Jorge.

 

Dicas importantes no cultivo da Pitaya

É importante lembrar que o cultivo pode ser feito entre temperaturas de 18° a 26°C. Pode ser cultivada em nível do mar ou até mais de 1000 metros de altitude
As mudas devem ser sustentadas com mourões em espaçamento de 2 metros para que o pé cresça saudável e tenha uma boa produção.
Para quem irá plantá-la em casa sem pretensão comercial, pode fazer isso em uma árvore ou parede desde que mantenha um mínimo de incidência solar satisfatório ao seu desenvolvimento.
Seu cultivo é simples, caso o solo apresente alguma deficiência de umidade, um sistema de irrigação por gotejamento irá solucionar.

Um pouco da morfologia

Existem três variedades da fruta. Quanto ao tamanho e coloração, sendo que em Hylocereus costaricensis, as frutas apresentam coloração vermelha tanto na casca quanto na polpa, e em Hylocereus undatus apresentam coloração vermelha na casca  e  branca na polpa. Em Selenicereus megalanthus, conhecida como “pitaya colombiana”, a polpa é esbranquiçada, e externamente a fruta tem coloração amarela.

 

Pitaya-amarela
(Selenicereus megalanthus)

 

 

 

Pitaya-vermelha
(Hylocereus monacanthus)

2 Comments

  1. juliana fonini disse:

    oi, sou gostaria muito de conseguir muda de Pitaya amarela ou rosa, minha dinda, professora e diretora do colegio Caraa, do municipio de Santo Antonio/ rs, me disse que vocês poderiam me ajudar em conseguir essas mudas, para ajudar a mim e a minha familia com a ferretina excessiva no sangue, consumo da mesma…no aguardo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×