Entidade ligada ao ensino agrícola gaúcho investe em Centro de Qualificação Profissional

Biblioteca Virtual da Agptea recebe mais de 635 mil acessos no primeiro semestre
4 de julho de 2022
Seminário vai discutir solo e cultura de oliveiras em Caçapava do Sul
26 de julho de 2022

Professores e estudantes do ensino técnico agrícola terão um novo espaço de capacitação e aprendizado. A partir do seu compromisso com a educação profissional, a Associação Gaúcha de Professores Técnicos de Ensino Agrícola (Agptea) vai investir na criação de um Centro de Qualificação Profissional. Na próxima quarta-feira, dia 13 de julho, a entidade vai efetivar a aquisição de um imóvel nas Minas do Camaquã, em Caçapava do Sul (RS).

De acordo com o presidente da Agptea, Fritz Roloff, trata-se de uma área com 6 lotes, sendo um deles com 2 hectares, e mais um hotel. A ideia é transformar o local em um Centro de Qualificação Profissional e que também servirá de hospedagem aos associados e comunidade em geral. “Será necessário investir em melhorias na infraestrutura, mas o espaço já está em condições de uso e tão logo o processo de compra esteja concluído, será aberto ao público”, informa.

A região foi conhecida a partir de uma visita da diretoria da entidade à Escola Técnica Estadual Dr. Rubens da Rosa Guedes, de Caçapava do Sul. “Fomos conhecer as atividades ligadas à agricultura familiar, especialmente a produção de hortaliças em uma pequena propriedade onde uma família nos mostrou que é possível gerar boa renda desde que as pessoas se qualifiquem, busquem o conhecimento e tentem incorporar novas tecnologias”, afirma Roloff.

O presidente da Agptea destaca a importância em investir em uma área onde está surgindo um novo nicho de produção agrícola que envolve as oliveiras, a noz-pecã e as videiras. “O forte investimento na produção de oliveiras que está ocorrendo em Caçapava do Sul, aliado à criação de um Centro de Qualificação Profissional, com certeza, irá agregar valor à região. Por isso, queremos apoiar e disponibilizar mais cursos de qualificação profissional”, enfatiza Roloff, que conclui salientando se tratar de um investimento que vale a pena em um espaço privilegiado como as Minas do Camaquã.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

×